Apresentação

Bom Dia Universo. Dedico o site a divulgar a filosofia de viajar pelo universo de forma livre, aberta e espontânea. É preciso conhecer os multiversos por conta própria, com seus próprios olhos, com sua própria alma. Para aqueles que buscam a isso, compartilho fotos e histórias das minhas trips pelo planeta Terra aqui!
Há muitas formas de se viajar, cada pessoa possui sua própria maneira de conhecer lugares, pessoas, situações. Mas viajar de forma espontânea nos traz alegrias que não encontramos de outra forma. Este site parte deste princípio e serve como um ponto de encontro tanto para aqueles que ainda não puseram o pé na estrada e não conhecem as belezas e as dificuldades do caminho, quanto para aqueles que já cruzaram o mundo e desejam compartilhar suas experiências.
No menu Guia é possível encontrar tudo aquilo que diz respeito ao mundo das viagens: dicas, sugestões, lugares, modos de agir do viajante, perigos a se evitar e muito mais.
O Portfólio O Mundo em Fotopoesia apresenta relatos, fotos e poesias sobre os mais de 40 países pelos quais eu viajei nesta jornada. Todas as poesias foram escritas por mim e são uma forma de sintetizar em linguagem artística o melhor de cada lugar. A Guia 2016 apresenta os posts mais recentes do Autor.
Por fim Contato é para você que gostou do conteúdo do site e quer viajar pelo mundo, mas deseja uma consulta particular para o seu caso antes de se aventurar.
Primeiros Passos
Sempre fui apaixonado por viagens desde que me conheço por gente. Aos 15 (quinze) anos, fui com a bicicleta do meu avô Durão e percorri em um dia os 125 km que separam São Miguel de Paraíbuna, cidade próxima à Serra do Mar. Sem levar qualquer dinheiro ou equipamento, dei minhas primeiras pedaladas rumo ao desconhecido. Também por esta idade começei a escrever poesias. Inspirado por meu pai que já escreveu centenas delas e por meu tio, falecido escritor, Cícero de Sá Ramalho. Aos 19 anos, de férias do emprego na faculdade, fiz minha primeira viagem de avião. O Destino foi Holanda. Foram dez dias na cidade de Amsterdã que modificaram profundamente a forma como eu encarava a vida. Desta viagem resultou o livro Espiral Poética que incluiu 33 poesias selecionadas dentre centenas outras que eu já tinha escrito na época. A partir daí eu fui mordido pela pulga do viajante. Pedalei em grupos diversas vezes para o interior de São Paulo. Aproveitando as férias e as folgas do trabalho, realizei curtas viagens para a América do Sul e Europa. Neste ritmo também visitei a Amazônia, Foz do Iguaçu e Fernando de Noronha, passando, no total, por mais da metade dos estados brasileiros. Outro destaque é a viagem de 21 dias com destino à Patagônia Argentina e Chilena, fundamental para consolidar uma de minhas atividades favoritas: montanhismo.
A Volta ao Mundo
Todas essas viagens sempre tiveram um prazo curto e foi assim que, movido pelo sonho de conhecer a Índia, decidi trancar a graduação e largar o emprego em 2012 para realizar a grande viagem. Começei pela Europa aproveitando o verão, tendo tempo suficiente para esmiuçar cada detalhe que o velho continente guardava. Sempre escrevendo poesias por onde passava, eu estava lançando pouco a pouco as bases para o livro que virá futuramente. Oriente Médio trouxe a vivência dos conflitos que tanto vemos nos noticiários, mas sob uma ótica inteiramente nova: a da possível, real e tão necessária convivência entre grupos diferentes. África mostrou realidades pouco conhecidas por aqui. De muita pobreza, mas também de superação. De tristeza e também de sorrisos. De grandes disparidades e de uma mensagem de que há muito ainda para ser feito pelo mundo. Mas foi realmente a Ásia que me encantou. A começar pela Índia que é sempre um caso à parte de tudo que se conhece. Três meses pelo país me garantiram um primeiro contato com os costumes locais, tradições, festivais e locais sagrados da Índia. Mas este foi apenas o engatinhar pelo país. Nepal concretizou o sonho de estar na maior montanha do mundo: Everest. Uma expedição ao acampamento base garantiu um sentimento de realização indescritível que só a linguagem poética poderia traduzir. Tailândia serviu como um descanso depois de tantos quilômetros de caminhada. Camboja e Vietnã surpreenderam pelas peculiaridades intrínsecas de cada país. Indonésia deu o fechamento triunfal à viagem.  De volta à Sampa reencontrei minha família (pai e mãe, avós, irmãos) e amigos e decidi compartilhar através deste site as vivências e aprendizados para todos aqueles dispostos a ouvir a mensagem que a vida tem para nós.
Este mundo que parece inacessível e intransponível para alguns está justamente aqui bem pertinho de nós esperando que um dia decidamos sair de casa, de nosso pequeno mundo para por o pé na estrada, para viver a poesia que ele nos guarda. Há muitos problemas no mundo, é verdade, mas cada um de nós podemos fazer parte da solução. Conhecê-lo é o primeiro passo neste sentido.

Lucas Ramalho

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s