9 sugestões para a transição

9 sugestões para a transição!

Os últimos acontecimentos na Terra levam a crer que algo de grandes proporções está para acontecer: uma transição. Vulcões ativos por toda parte, inundações, temperaturas extremas, terremotos, ventos fortíssimos, furacões, sinais nos céus, aproximação do planeta X em direção à Terra, golpes de estado no Brasil, suspensões das liberdades individuais na Europa e nos Estados Unidos, ataques de falsa bandeira na França, nos Estados Unidos, na Turquia, compra de quantidades absurdas de munição pelos Estados Unidos, crises econômicas criadas na América Latina. Enfim. Tudo isso não está sendo falado pela mídia elitista da forma como deveria ser falado. Por isso eis aqui 9 sugestões para a transição que todos nós podemos e devemos saber:

1. Proteja-se e lute por você e pelos seus. Não entre no negativismo e no desespero. Não vá contra o inimigo, isso só irá alimentá-los. Não proteste contra, faça algo além disso. Faça algo.
2. A mídia não irá te dizer nada. Então esteja preparado. Seja você mesmo a mídia, crie a sua própria mídia e conecte-se com quem está ao seu lado.
3. Estoque alimentos. Tenha comida para no mínimo 3 meses. Alimentos básicos e alcalinos, cereais, vegetais, sementes, desidratados, liofilizados, carnes secas. Lembre-se da fome que está acontecendo agora na Venezuela.
4. Se não houver eletricidade por algum tempo? Tenha carregadores solares para celulares, baterias reservas, geradores pequenos eólicos, solares, mecânicos.
5. Se não houver combustível por algum tempo? Além de estocar, tente fazer a conversão do seu carro o quanto antes. Carros elétricos, a hidrogênio, a água, biocombustível, gás natural. Tudo é possível. O nevoeiro da mente nos impede de fazer as coisas. Bicicletas também são úteis para curtas distâncias.
6. Se não houver dinheiro por algum tempo? Dinheiro é uma fantasia. Criado do nada e nem sequer é lastreado em ouro. O que tem valor é a terra, metais preciosos, coisas úteis em situações de emergência. O que você pode fazer também serve como moeda de troca. Você também pode criar o seu próprio sistema financeiro em sua comunidade.
7. Se eu estiver em cidades grandes? Melhor evitar. Pense em uma cidade como São Paulo ou como o Rio de Janeiro sem luz, sem água e com desabastecimento de alimentos por 1 mês. Se puder sair o quanto antes melhor ou pelo menos tenha um plano de fuga em caso de emergência e saiba para onde ir. Evite cidades que fiquem ao nível do mar. Em caso de um megaterremoto ou de um impacto de um asteroide, será difícil conseguir sair a tempo.
8. Tenha como se defender. A polícia não serve para te proteger, ela serve para proteger o Estado que te explora. Então, seja você mesmo responsável pela sua segurança. Saiba como agir e se defender.
9. Ação. Compartilhe as sugestões mesmo que tenha certeza absoluta de que nada irá acontecer. Veja você mesmo com seus próprios olhos o que está acontecendo com o mundo hoje mesmo e pelo sim e pelo não, esteja preparado. Não seja pego de surpresa. Céticos serão os últimos. Lembre-se do Titanic que jamais poderia afundar até que afundou. Não pense que algum grande evento possa ocorrer em setembro ou em outubro. Pode ser que algo se passe agora mesmo em agosto de 2016. Mesmo assim, mesmo que não aconteça desse jeito, isso serve para qualquer momento, para qualquer época. É sempre melhor estar preparado.

Muita Luz para todos na Terra. Desperte!

Anúncios

Meu Karma, Meu Dharma

Em tudo que vejo, eu vejo você
Você é o meu espelho daquilo que não se vê
O reflexo da luz que vem dos seus olhos me faz brilhar
E você então me vê e eu então posso me olhar

Nu, desnudo, pelado, mergulhado no mar da inconsciência
Quem vai me resgatar?
Não ando armado porque nada pode me matar
Eu sou a própria arma
E você é Karma, você é Dharma

Meu Karma, Meu Dharma
Quando será que vou enlouquecer?
Você me arma e me desarma
Levianamente a seu bel-prazer
Você me trata e me destrata
Eu só quero te conhecer
Você reluz e me reduz
Por isso estou com você

Estou acostumado com a rotação da Terra
Mas essa Lua vai me enlouquecer
Nasci preparado pra uma guerra
Que ninguém pode vencer
É apenas Karma, é apenas Dharma
Não há muito que fazer

Não quero me esconder, não quero fugir
Deito sobre um espelho quando vou dormir
E quando sorrio para você, é você que está a sorrir
Sou um espelho enevoado, mas quero me descobrir

Eu sou você, você sou eu, mas quem somos nós?

Se tudo é feito de Luz
Você é a dança do Sol e de Vênus
Você é a flor de Lótus na Terra de Uz
Você é a Estrela Azul Regulus

Não me maltrates por favor
Pois eu sou o seu espelho, a sua dor
É apenas Karma e Dharma meu amor
Que me importa o apocalipse se o seu eclipse já é destruidor

E assim vamos nesse baile do Karma e do Dharma
Pra quem está no compasso dessa louca ciranda
Só existe uma arma:
Satchidananda
Lucas SS Ramalho

A Revanche Indígena

Contam que aconteceu quando os europeus chegaram à terra que, depois, chamariam de América. Um deles viu um índio caminhando na praia. O nativo trazia nas mãos uma cana-de-açúcar e algumas folhas de tabaco; na cabeça, ornamentos de ouro. O europeu apontou sua arma e abateu o índio com um tiro certeiro para roubar-lhe os objetos. Antes de morrer, porém, o índio teve tempo de lançar uma maldição. Olhou para o branco e disse: “A cana que me adoça a boca fará cair os teus dentes; o tabaco que me cura e faz viajar adoecerá tuas entranhas e teu peito; o ouro que me ornamenta a cabeça enlouquecerá tua mente”. Desde então, tem sido assim.
Texto emando do blog do Altino Machado

O Empresário e o Pescador

Um executivo que passava suas férias numa cidadezinha costeira, estava no cais quando viu aproximar-se um pequeno barco de pesca com um só homem a bordo. Dentro do barco brilhavam ao sol vários peixes grandes com excelente aspecto. O executivo cumprimentou o pescador pela beleza e qualidade dos peixes e perguntou quanto tempo ele havia levado para pescar peixes tão grandes.
O pescador respondeu:
– Não muito, senhor, eu diria que levei somente algumas horas.
O executivo espantado falou-lhe:
– Certamente você é um bom pescador e esses peixes são excelentes. Então porque não ficou mais tempo no mar para pescar mais peixes?
O pescador riu.
– Porque faria isto, senhor? Eu ganho o suficiente para sustentar a mim e a minha família. Eu não preciso pescar mais peixes.
O executivo então perguntou:
– Mas o que você faz o resto do dia?
O pescador respondeu:
– Eu estou completamente livre para fazer o que eu quero. Brinco com meus filhos, tiro uma soneca com a minha mulher e vou à cidade no final da tarde onde bebo e toco violão com os meus amigos. Eu tenho uma vida cheia e boa, senhor.
O executivo zombou dele:
– Ah! Você pensa que tem uma vida boa… e tirando do bolso um cartão de visitas completou: eu sou graduado em administração de empresas e posso ajudá-lo. Pelo que vejo, você poderia pescar por mais tempo em cada dia e de acordo com o produto da sua pesca, você rapidamente poderia comprar um barco maior. Depois de algum tempo venderia esse grande barco e compraria vários barcos e até eventualmente, teria a sua própria frota. Certamente precisaria contratar uma equipe de pescadores, mas não se preocupe, pois eu conheço a pessoa certa que pode nos ajudar a recrutá-los.
Enquanto falava, o executivo fazia anotações e desenhava diagramas. E continuou dizendo:
– Em alguns anos, ao invés de vender para um intermediário, você poderia vender diretamente para as fábricas ou, quem sabe, ter a sua própria fábrica para industrializar os peixes. Desse modo você controlaria o produto, o processamento e a distribuição. Lógico que você precisaria se mudar desse vilarejo para uma cidade maior. Certamente, você entende, precisaríamos melhorar o seu perfil no mercado. Daí, provavelmente você teria que se mudar para um centro mais dinâmico, uma metrópole, com acesso a grandes mercados no mundo, onde poderia controlar o sucesso de seus negócios e expandi-los ainda mais.
O executivo parou de falar, meio sem fôlego, e esperou pelos agradecimentos por parte do pescador por tão sábios conselhos. Mas, este, ponderou:
– Mas senhor, quanto tempo isso levaria?
O executivo, fazendo anotações e utilizando a sua calculadora, replicou:
– Ah! Acredito que alguma coisa entre 15 a 20 anos.
– E o que vai acontecer então? Perguntou o pescador.
O executivo riu e disse:
– Essa é a parte mais inteligente e brilhante desse plano. No momento certo – e eu ficarei muito contente em avisá-lo – você abrirá o capital da empresa colocando as ações na bolsa de valores, vendendo-as para o público e tornando-se muito rico. Poderá ganhar centenas de milhões.
– Centenas de milhões, senhor? Perguntou o pescador coçando o queixo. E depois o que acontecerá?
– Bem, você poderá se aposentar como um homem muito rico, e escolher a vida que deseja para você e a sua família. Por exemplo, poderá se mudar para uma cidadezinha costeira, e fazer tudo aquilo que gosta: pescar, brincar com seus filhos, tirar uma soneca com a sua mulher e ir à cidade todos os finais de tarde para beber e tocar violão com os seus amigos. Você teria uma vida cheia e boa.
O pensador pensou por um momento e disse:
– Muito obrigado pelos seus conselhos, senhor. Não me leve a mal, mas se o senhor não se importar eu acho que pouparei 15 anos da minha vida e ficarei exatamente onde e como estou.

Anjo de Luz

Anjo de luz que clareia a noite escura
Vem cantar a canção do amor e da cura
 
Anjo de luz que escuta o nosso anseio
Vem trazer bem serena paz em teu seio
 
Anjo de luz que sopra em nossos ouvidos
A palavra que abre os caminhos escondidos
 
Anjo de luz, quem és tu que nos traz a verdade?
Eu sou o brilho dos olhos da humanidade
 
Eu sou a voz ressoando dentro de ti
Eu sou você, eu sou nós, estou lá e aqui
 
Lucas Ramalho

Few Brief Words written in 1871

Few brief words from Albert Pike, written in 1871, that lay it all out in a few short paragraphs. We do not have to allow the third world war to happen according to an illuminati script, a little public awareness could instead cause the third world war to backfire badly. Let’s make that awareness happen.
Albert Pike:
“The First World War must be brought about in order to permit the Illuminati to overthrow the power of the Czars in Russia and of making that country a fortress of atheistic Communism. The divergences caused by the “agentur” (agents) of the Illuminati between the British and Germanic Empires will be used to foment this war. At the end of the war, Communism will be built and used in order to destroy the other governments and in order to weaken the religions.
“The Second World War must be fomented by taking advantage of the differences between the Fascists and the political Zionists. This war must be brought about so that Nazism is destroyed and that the political Zionism be strong enough to institute a sovereign state of Israel in Palestine. During the Second World War, International Communism must become strong enough in order to balance Christendom, which would be then restrained and held in check until the time when we would need it for the final social cataclysm.”
The Third World War must be fomented by taking advantage of the differences caused by the “agentur” of the “Illuminati” between the political Zionists and the leaders of Islamic World. The war must be conducted in such a way that Islam (the Moslem Arabic World) and political Zionism (the State of Israel) mutually destroy each other. Meanwhile the other nations, once more divided on this issue will be constrained to fight to the point of complete physical, moral, spiritual and economical exhaustion. We shall unleash the Nihilists and the atheists, and we shall provoke a formidable social cataclysm which in all its horror will show clearly to the nations the effect of absolute atheism, origin of savagery and of the most bloody turmoil.
Then everywhere, the citizens, obliged to defend themselves against the world minority of revolutionaries, will exterminate those destroyers of civilization, and the multitude, disillusioned with Christianity, whose deistic spirits will from that moment be without compass or direction, anxious for an ideal, but without knowing where to render its adoration, will receive the true light through the universal manifestation of the pure doctrine of Lucifer, brought finally out in the public view. This manifestation will result from the general reactionary movement which will follow the destruction of Christianity and atheism, both conquered and exterminated at the same time.”
From: http://www.threeworldwars.com/albert-pike2.htm

 

O Silêncio Indígena

“Nós os índios, conhecemos o silêncio; não temos medo dele. Na verdade, para nós ele é mais poderoso do que as palavras. Os nossos ancestrais foram educados nas maneiras do silêncio e transmitiram-nos esse conhecimento. “Observa, escuta, e logo atua”, diziam-nos. Esta é a maneira correta de viver. Observa os animais para ver como cuidam dos seus filhotes; observa os anciões para ver como se comportam; observa o homem branco para ver o que quer. Observa sempre primeiro, com o coração e a mente quietos, e então aprenderás. Quanto tiveres observado o suficiente, então poderás atuar.
Com vocês, brancos e pretos, é o contrário. Vocês aprendem enquanto falam. Dão prêmios às crianças que falam mais na escola. Em suas festas, todos tratam de falar. No trabalho estão sempre em reuniões nas quais todos interrompem todos, e todos falam cinco, dez, cem vezes e chamam a isso “resolver um problema”. Quando estão numa habitação e há silêncio, ficam nervosos. Precisam preencher o espaço com sons. Então, falam compulsivamente, mesmo antes de saber o que vão dizer. Vocês gostam de discutir, nem sequer permitindo que o outro termine uma frase. Interrompem sempre. Para nós isso é muito desrespeitoso e muito estúpido.
Se começas a falar, eu não te vou interromper. Escutar-te-ei. Talvez deixe de te escutar se não gostar do que estás a dizer, mas não vou interromper-te. Quando terminares, tomarei a minha decisão sobre o que disseste, mas não te direi se não estou de acordo, a menos que seja importante. Pelo contrário, simplesmente ficarei calado e afastar-me-ei. Terás dito o que preciso saber. Não há mais nada a dizer. Mas isso não é suficiente para a maioria de vós
Deveriam pensar nas vossas palavras como se fossem sementes. Deveriam plantá-las, e permitir que crescessem em silêncio. Os nossos ancestrais ensinaram-nos que a terra está sempre a comunicar conosco, e que devemos ficar em silêncio para a escutar. Existem muitas vozes além das nossas, muitas vozes. Só vamos conseguir escutá-las… em silêncio.”
“Neither Wolf nor Dog. On Forgotten Roads with an Indian Elder” – Kent Nerburn